Saban planeja continuação de Power Ranger com mais 5 filmes

Haim Saban, o criador de Power Rangers (a adaptação americana dos Super Sentai japoneses) e dono da Saban Entertainment, que produz Power Rangers até hoje, disse em entrevista ao site Variety que a franquia cinematográfica de Power Rangers, uma parceria da Saban com a gigante do cinema Lionsgate, e que apresenta uma releitura dos personagens de Mighty Morphin Power Rangers (1993-1996) terá continuação. “Já temos um arco de história para seis filmes”, disse Saban.

O grande motivo para isso é a nova geração que o novo Power Rangers vai atingir, querendo ou não, já que reintroduz para uma nova geração os clássicos episódios de Mighty Morphin Power Rangers. Mas os espectadores de hoje são mais sofisticados do que as crianças que assistiram as primeiras temporadas da série, na TV Globo, na década de 1990. A Saban criou a série de longa duração, misturando imagens recém produzidas com sequências de ação de uma série de TV japonesa (o Super Sentai Zyuranger), cujos efeitos especiais foram risíveis e simplórios.

“O público jovem de hoje é muito mais sofisticado”, disse, Saban. “Pense em filmes como ‘Jungle Book’ (Mogli: o Menino Lobo) e ‘Arrival’ (A Chegada). Os efeitos são alucinantes. O público jovem também espera mais? Você pode apostar que eles esperam – e eles terão.”

O roteirista John Gatins concorda: “Fazendo os efeitos especiais como um grande elemento artístico, eles serão um grande atrativo para os super fãs. Eles entendem que havia uma qualidade estranha e engraçada sobre a qualidade dos efeitos especiais do antigo programa de TV. Tínhamos grandes aspirações de fazer um filme que fosse visualmente excitante. “

Além disso, como Haim Saban aponta, os Power Rangers eram tanto sobre os personagens quanto sobre a ação. “Os efeitos são apenas parte do filme”, ​​diz ele. “Nós também estamos desenvolvendo personagens simpáticos. Eles não se levam muito a sério, em termos de como eles se relacionam. Eu queria que o filme dissesse que os perdedores ou esquisitos, ao se unirem, podem perceber a importância da responsabilidade em seus ombros “.

A linha entre as gerações que acompanharam Power Rangers é longa e forte. Quando Saban criou a série de TV original – tem sido exibida, em várias temporadas (correlacionadas ou não) por quase 25 anos – Dean Israelite foi um sul-Africano pré-adolescente fã do show. Agora, aos 32 anos é o diretor da releitura de 120 milhões de dólares “da franquia clássica de super-heróis – e com esse trabalho vêm as expectativas dos fãs da série em todo o mundo e de todas as épocas. “Pessoas com 27 a 33 anos, que cresceram acompanhando o programa, têm um verdadeiro carinho por ele”, diz Israelite. “Eles têm um sentimento nostálgico por ele e, se se eles já são pais, querem compartilhar isso com seus filhos.”

O Power Rangers de 2017 voltam na história original e popular criada por Saban  com “adolescentes com atitude”, reformulando-a como um conto “antigo”. Um grupo de alunos do ensino médio da cidade de Angel Grove é escolhido para salvar a Terra de uma bruxa cósmica, Rita Repulsa (Elizabeth Banks). No processo, eles descobrem seus poderes internos, que são catalisados ​​pelo altruísmo do trabalho com os outros membros do grupo – fazendo com que todos eles “morfem” para se tornar Power Rangers.

O público principal deve ser pré-adolescentes e adolescentes. Mas nunca subestime o poder da nostalgia por heróis de infância, de Superman e Batman a Tartarugas Ninja e Power Rangers.

“Houve muita resposta nas mídias sociais de pessoas em seus 20 anos de idade, desde que anunciamos o filme”, ​​diz Gatins. “Esta é uma parte de sua nostalgia. E, espero, as crianças de hoje, que não viram os Power Rangers antes, vão olhar para os anúncios e vão dizer, ‘Uau, isso parece muito legal.’ “

Saban, que fez sua fortuna escrevendo música, e depois produzindo programas de TV ao vivo e animações para crianças, vendeu a empresa e suas várias propriedades (incluindo o “Power Rangers”) para a Disney em 2001 e, depois, compou-as de volta em 2010. “Eu acompanhava de longe o que eles estavam fazendo”, diz Saban. “Eu acho que a Disney nunca realmente compreendeu o valor da franquia.”

Para esta tentativa de criar uma nova geração de fãs de Power Ranger, Saban escolheu Israelite, cujo único crédito diretivo anterior foi “Projeto Almanaque” (2015). O ajuste para fazer um filme com um orçamento de nove dígitos foi “enorme”, diz Israelite. “Meu primeiro filme foi um filme de estúdio de US$ 12 milhões”, diz Israelite. “Quando um estúdio faz um filme por esse pouco dinheiro, você trabalha com o que tem. A escala é pequena. Eu pensei que este seria o mesmo, exceto com mais pessoas em uma escala maior. Mas havia tantos elementos variáveis ​​que eu tinha que ter uma clara visão, então eu estava sempre tomando a decisão certa, com base no conselho de pessoas que estão fazendo isso há 30 anos. Eu tinha que ser fluente e era uma grande curva de aprendizado. “

Agora a questão é se o público vai abraçar esta nova geração de Power Rangers. Saban está confiante de que eles vão. “Se este filme é tão bem sucedido como espero em 24 de março, dia 25 de março teremos a primeira reunião para a concepção da história do segundo filme.”

O elenco do filme, que estreou no Brasil dia 23 de março de 2017, terá a participação dos atores RJ Cyler (Billy/Ranger Azul), Naomi Scott (Kimberly/Ranger Rosa), Ludi Lin (Zack/Ranger Preto), Becky G (Trini/Ranger Amarela), Dacre Montgomery (Jason/Ranger Vermelho), Elizabeth Banks (Rita Repulsa), Bryan Cranston (Zordon) e Bill Hader (Alpha 5). Ashley Miller, Zack Stentz (X-Men: Primeira Classe) e John Gatins (Gigantes de Aço, O Vôo) são os roteiristas e Dean Israelite (Projeto Almanaque) é o diretor. O filme é distribuído no Brasil pela Paris Filmes.

3 comentários em “Saban planeja continuação de Power Ranger com mais 5 filmes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>