Quadrinhos Justice League/Power Rangers chega às bancas nos EUA

Os quadrinhos Justice League/PowerRangers, uma reunião dos quadrinhos da Liga da Justiça (Justice League) com Power Rangers chega hoje, 11 de janeiro, às bancas, livrarias e e-commerces dos Estados Unidos.

Na publicação, parceria da editora BOOM! Studios com a DC Entertainment e a Saban Brands, duas das maiores equipes de super-heróis de quadrinhos se unem pela primeira vez! Algo terrível aconteceu em Angel Grove! O Centro de Comando foi violado e os equipamentos de teletransporte foram danificados, e Zack é jogado em outro universo, onde ele é confundido com um vilão por um misterioso vigilante mascarado. Podem os outros Power Rangers chegar a seu amigo a tempo de salvá-lo de Batman?

Na opinião de Tom Taylor, autor da série de quadrinhos, os adolescentes com atitude de Alameda dos Anjos merecem um maior legado nos quadrinhos, nas seis edições que deverão ser publicadas do crossover.  Em entrevista ao site americano Inverse, o autor falou sobre as novidades que poderão ser lidas nos quadrinhos. “Estou sempre motivado para mostrar porque algo exatamente é ótimo. Os Power Rangers não são exceção. Haverá muitos momentos de vitória para os Power Rangers (nos quadrinhos). Momentos de triunfo e felicidade geral. Sim, eles têm que ter que ficar ao lado da Liga da Justiça e a Liga lança uma grande sombra. Mas Zords lançam uma sombra ainda maior”, explicou Taylor.

preview-of-justice-leaguepower-rangers-1-featuring-zack-the-black-ranger-meeting-none-other-tha

Na Liga da Justiça/Power Rangers, as equipes se cruzam quando Zack, o Mighty Morphin Power Ranger Preto, é arremessado para o DC Universe depois que o Centro de Comando dos Power Rangers é invadido por forças inimigas. A escolha de Zack como personagem principal aconteceu porque o Ranger Preto é, muitas vezes, ofuscado pelas histórias que envolvem os outros Power Rangers na série de TV. Para Tom Taylor “Zack é uma grande parte do crossover porque ele é muitas vezes deixado de lado. E ele não deve ser subestimado.”

Além de Zack, todos os Power Rangers originais (com Tommy sendo o Ranger Verde) estão confirmados nos comic books, junto com a lista da Liga da Justiça (Superman, Batman, Mulher Maravilha, The Flash (Barry Allen), Cyborg e Lanterna Verde. Taylor também deu algumas pistas sobre a participação de outros personagens: “Muita dinâmica divertida será explorada, mas alguns eu não posso entregar. Há uma reunião envolvendo o Alpha 5 e um personagem da DC que ainda não nomeamos, o que eu acho que faz muito sentido, mas ninguém poderia imaginar”.

Conhecido pelas aclamada publicações como DC’s Injustice: Gods Among Us, vários quadrinhos Star Wars, e a série do Netflix The Deep, Tom Taylor anunciou Liga da Justiça/Power Rangers em outubro de 2016. Mas a união aparentemente fácil – duas equipes de super-heróis se encontram e lutam! – tem sido surpreendentemente difícil para Taylor, que atribui o problema ao enorme elenco. “Temos seis heróis em cada equipe, junto com o apoio de grandes vilões. Eles são todos grandes personagens, e você quer que cada um deles tenha o seu momento ao sol. “

Para resolver isso, Taylor adere a filosofia “mostre, não fale”, que soa simples na teoria, mas é muito complicada na prática, no meio dos quadrinhos. E para a Liga da Justiça/Power Rangers, é crucial, porque está incluindo uma história desconhecida para a maioria dos leitores da DC. “Eu odeio exposição, então eu tento informar organicamente”, diz ele, que para o Power Rangers significa toneladas de vitórias. “Podemos mostrar os poderes dos Power Rangers, fazendo-os vencer o Batman por uma página inteira.”

how-do-you-establish-the-power-rangers-as-formidable-allies-for-the-justice-league-let-them-beat-up

Quem trabalha com Taylor é o artista Stephen Byrne (Serenity, Green Arrow), que escreveu e desenhou os próprios quadrinhos de Power Rangers no ensino fundamental. Um fã de longa data, Bryne levanta técnicas do programa de TV para deixar os Power Rangers ser expressivos, porque ao contrário de suas contrapartes da Liga da Justiça, todos os seis Rangers são obscurecidos sob capacetes. “Eu tento usar a linguagem corporal se houver uma pose eficaz, para transmitir humor ou emoções”, diz Byrne Inverse, que espelha como atores dublês para fazer “diálogo” no traje. “Às vezes as grandes poses não são apropriadas, mas a escrita de Tom (Taylor) está fazendo todo o trabalho pesado, de qualquer maneira.”

“Há alguns momentos mais negros contrastantes”, explica Bryne. “Quando os Rangers foram transportados para outro universo, usei cores mais escuras para mostrar perigo”. Para a Liga, Byrne referenciou o Superman / Batman, de Ed McGuiness, conhecido por seu tom equilibrado. “Ele fez versões da Liga da Justiça que eram muito divertidas e um pouco de desenhos animados, e embora eu não ache que meu trabalho se parece com o dele, eu queria imitar isso no geral”.

Enquanto as crianças são um público alvo óbvio, a equipe que faz o livro diz que vai levar o enredo para um lado um pouco mais negro, garantindo que os adultos podem desfrutar da leitura também. Os temas, de acordo com Taylor, tratam de “voltar para casa com arrependimentos” e o “poder no aparentemente impotente”. Em comparação com os quadrinhos mais sombrio de Mighty Morphin Power Rangers, escritos por Kyle Higgins, que foram considerados um dos melhores quadrinhos de 2016 e uma publicação que Taylor diz ser fã. “Há grandes choques e alguns momentos ruins, mas nós procuramos um tom um pouco inocente, saudável”.

A Liga da Justiça é sinônimo de equipes de super-heróis, precedendo os Vingadores, da Marvel por três anos. Em novembro, eles se reunirão na tela grande pela primeira vez na Liga de Justiça, de Zack Snyder – assim como os Power Rangers no próprio filme, em março. Enquanto os Rangers não têm o controle cultural da Liga mais grisalha e reverenciada, eles estarão em um bom caminho, depois de compartilhar as páginas com a Mulher Maravilha. “Eu amo todos esses personagens”, finalizou Taylor. “Este é um crossover que deve ser divertido em cada página. Esta história é grande. Coloca o “mega” em Megazord.”

A edição Justice League/Power Rangers #1 estará à venda nos Estados Unidos por 3,99 dólares, contém 32 páginas e é uma co-publicação da BOOM!Studios, em parceria com a DC Comics.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *